Você está aqui: Skip Navigation LinksInvestPedia > Finanças Pessoais > Imóveis > Comprar à vista, financiar ou alugar um imóvel?
Olá, visitante, seja bem vindo.

Comprar à vista, financiar ou alugar um imóvel?

Ah, a compra do imóvel! Um sonho de todo brasileiro e também uma das questões mais polêmicas quando o assunto é finanças pessoais. Afinal, o que vale mais a pena? Comprar à vista? Financiar? Alugar?

As opiniões dos especialistas são as mais divergentes possíveis. Alguns defendem que é mais vantajoso comprar o imóvel. Outros contra-atacam afirmando que o que vale mais a pena é alugar. Infelizmente, qualquer pessoa que se julga especialista e defende um ponto de vista de forma radical está cometendo um grave erro.

Não existe uma opção que seja mais vantajosa ou melhor que outra quando o assunto é a compra ou o aluguel do imóvel. O que existe são algumas variáveis que devem ser muito bem analisadas, pois cada caso é um caso. O que é mais vantajoso pra você pode não ser para seu vizinho. Questões como o prazo do financiamento, o valor do aluguel, a capacidade de poupança de cada indivíduo e a renda familiar são apenas alguns desses fatores.

Além de todas essas variáveis, que são mensuráveis e facilmente colocadas na ponta do lápis, existem outras muito mais complexas, que são as questões emocionais. O conforto e segurança de morar na casa própria podem ser extremamente importantes para uma família. Só o fato de saber que ao final do mês não precisarão pagar o aluguel ou a parcela do financiamento, pode trazer alívio e qualidade de vida.

Por esses e outros motivos, não defenderemos, em hipótese alguma, um ponto de vista de forma radical ou extremamente limitada. Apresentaremos alguns cálculos para ajudar você a pensar de forma inteligente, analisando sua situação específica para poder decidir o que é melhor ou mais vantajoso para seu perfil.

Para isso, criamos uma planilha de suporte, onde você poderá simular diversas possibilidades para saber o que se enquadra melhor em suas particularidades. Basta fazer o download da planilha no link abaixo:

 
Ícone Excel Clique aqui para fazer download da versão .xlsx (Excel 2007)
Ícone Excel Clique aqui para fazer download da versão .xls (Excel 97-2003)


Alguns pontos pacíficos
Embora a questão seja bastante polêmica e a defesa de alguma hipótese de maneira radical seja muito perigosa, existem alguns pontos pacíficos em relação a essa importante decisão. Veja quais são:

Se você se enquadra na população de baixa renda e não consegue poupar nada durante o mês, ou seja, seu salário é todo consumido com aluguel, contas e despesas, então, vale a pena comparar o valor do atual aluguel com o valor da parcela do financiamento. Se o valor do financiamento for menor que o valor pago pelo aluguel atualmente, é muito provável que o financiamento seja a melhor opção para seu perfil. Hoje em dia, o governo oferece subsídios para essa faixa da população, como é o caso, por exemplo, do programa Minha Casa Minha Vida, criado em 2009.

Se você já possuir o valor para compra do imóvel à vista, mas optar pelo aluguel, então, é muito importante que se deixe esse dinheiro acumulado aplicado conservadoramente. Esse dinheiro não pode ser arriscado, pois você depende dele para, talvez, conseguir um patrimônio maior no futuro. Opções como poupança, fundos de renda fixa e títulos do tesouro direto, devem ser suas escolhas.

Cuidado com a escolha do imóvel. Não se empolgue por um imóvel só porque o valor da parcela cabe no bolso. Não faz sentido financiar um imóvel em vinte anos se você pretende ocupá-lo por apenas dez. Sua família pode crescer e talvez seja necessário trocar de moradia. Nesse caso, o financiamento pode ser um grande transtorno. Fique atento!

Quanto maior a parcela da entrada no financiamento, menor serão os juros cobrados e talvez seja possível, até mesmo, financiar o saldo devedor em menos tempo. Se ainda não possui um valor razoável para a parcela de entrada, pense em trabalhar mais ou poupar um pouco mais antes de partir para o financiamento.

Comprar um imóvel à vista faz mais sentido se você consegue poupar. É importante continuar fazendo poupança para que você possa ter mais patrimônio no futuro, além do imóvel.

O valor do aluguel em relação ao valor da parcela do financiamento ou em relação à rentabilidade de uma aplicação financeira faz muita diferença no longo prazo. Se optar pelo aluguel é muito importante não exagerar no padrão de vida, caso queira conquistar um capital maior no futuro. Procure um aluguel que seja menor em termos percentuais do que a parcela do financiamento ou do que a rentabilidade mensal de uma aplicação financeira.

Exemplos práticos com auxílio da planilha
Para esclarecer possíveis dúvidas e mostrar alguns exemplos práticos reais, separamos algumas situações que podem lhe auxiliar nessa importante tomada de decisão.

Vamos supor que uma pessoa possui R$150.000 disponíveis para a compra do imóvel, e que, além disso, possui um poder de poupança de R$400 por mês e esteja em dúvida se deve comprar ou alugar um imóvel. Vamos assumir um período de 240 meses (20 anos), uma aplicação financeira que renda 0,60% líquidos ao mês e um valor mensal de aluguel de R$900.

Se ela optar pela compra do imóvel, gastará os R$150.000 disponíveis e ficará sem um tostão, mas a partir daí aplicará R$400 todo mês.

Ao final de 20 anos ela terá R$213.504,94 em aplicações financeiras mais o imóvel no valor de R$150.000, totalizando R$363.504,94 de patrimônio total.

Se tivesse optado pelo aluguel, teria ao final de 20 anos o equivalente a R$359.745,18, ou seja, um pouco menos que o patrimônio total acumulado no caso da compra do imóvel.

Para brincar com os números e ver como o valor do aluguel é extremamente importante para a conquista da independência financeira, vamos supor dois novos valores para o aluguel, o primeiro de R$750, assumindo que a pessoa aceitou diminuir seu padrão de vida, e o segundo de R$1.050, caso a pessoa tivesse optado por aumentar seu padrão de vida.

No primeiro caso (R$750 de aluguel), após 20 anos ela teria o equivalente a R$439.809,53, ou seja, quase 21% a mais em termos de patrimônio. Já no segundo caso (R$1.050 de aluguel), teria o equivalente a R$279.680,83, cerca de 23% a menos em termos de patrimônio. Ambos os casos foram comparados com o primeiro, onde o valor do aluguel era de R$900.

Se a mesma pessoa tivesse optado por um financiamento de 20 anos, dando 30% do valor do imóvel como entrada e parcelado o saldo devedor a juros de 1% ao mês pela tabela SAC (Sistema de Amortização Constante), teria pagado aproximadamente o total de R$244.461,00 pelo imóvel e teria um patrimônio de R$150.000,00 ao final de 20 anos. Nesse exemplo foi suposto que a pessoa possuía apenas os 30% da entrada disponível e que não possuía capacidade de poupança. Fica claro como a capacidade de poupança faz muita diferença no longo prazo, por menor que ela seja.

Em todos os exemplos não foi considerado o valor da inflação nem o possível valor da valorização ou desvalorização do imóvel, afinal, esse ponto é bastante discutível. Se desejar incluir o valor estimado da inflação ao mês para o período, basta incluí-lo na planilha.

Podemos claramente notar que, quando o valor do aluguel representa o mesmo percentual do valor total disponível em relação ao percentual da rentabilidade da aplicação (0,60%), a opção pela compra do imóvel é levemente mais vantajosa.

Quando o valor percentual do aluguel é menor que o valor percentual da rentabilidade da aplicação (R$750 de aluguel representam 0,50% do total disponível), a opção pelo aluguel se torna mais vantajosa.

Já quando o valor percentual do aluguel é maior que o valor percentual da rentabilidade da aplicação (R$1.050 de aluguel representam 0,70% do total disponível), a opção pelo aluguel se torna desvantajosa.

Como já dissemos, o valor do aluguel pode ser determinante para a conquista de maior patrimônio no futuro, e ele depende do padrão de vida que se está disposto a obter em troca de um maior capital futuramente. É nesse ponto que muitos planos de independência financeira vão por água abaixo.

Utilize a planilha para fazer suas simulações e não deixe de comentar no espaço abaixo suas experiências, aprendizados e mancadas envolvendo imóveis. Compartilhe sua vivência conosco e com os outros usuários.

Observação: Embora não tenham sido comentadas no artigo, a planilha possui células destinadas à inclusão de estimativas de taxas de inflação mensal para correção de aportes mensais, valor do imóvel e financiamento. Também possui células para inclusão de alíquotas de imposto de renda, caso a aplicação financeira seja passível de tributação.
Avaliar:   (5 votos)  
Comentário 67 Comentários
Minha foto
Ver Perfil
alexdiotto
05/01/2010 às 09:23:20
  (2 votos)
Campinas - SP
Parabéns pelo artigo, bem prático seu relato.
Avalie este comentário:   (2 votos) 
Minha foto
Ver Perfil
henri_sp_br
29/03/2010 às 00:40:42
  (1 voto)
São Paulo - SP
Exelente
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
sergio
05/05/2010 às 17:30:54
  (10 votos)
Porto Alegre - RS
Interessante o artigo, no sentido de deixar clara a importância do fator psicológico nas aplicações financeiras. Se o ser humano controlasse totalmente as suas emoções, os resultados financeiros seriam diferentes. Mas deixo uma questão. Como comparar valor monetário (objetivo) com felicidade (subjetivo).
Um abraço.
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
05/05/2010 às 21:51:00
  (254 votos)
Campinas - SP
Sérgio, essa é uma questão difícil de mensurar, pois para uns uma decisão mais emocional pode significar muito mais que uma decisão racional.

Costumo dizer que a felicidade vale muito mais que a racionalidade financeira, desde que o passo não seja dado maior que a perna.

Pode ser mais vantajoso poupar durante 10 ou 20 anos para comprar um imóvel à vista e ainda guardar algum dinheiro, mas esperar todo esse tempo, pagando ou não aluguel, pode ser desanimador.

Por isso, não tem nada de errado em comprar a casa própria, desde que dentro de seus limites e não deixando pelo menos um pouco de racionalidade de lado, pois, futuramente, caso a decisão seja tomada apenas por impulso, a felicidade poderá se transformar em tristeza e agonia, e o que é pior, talvez muito mais duradouras.

Viver abaixo de suas posses é um dos segredos para adquirir riqueza, afinal o futuro é incerto e quem se prepara para ele sem deixar de satisfazer algumas alegrias no meio do caminho está em melhores condições do que os que vivem apenas o presente! Abraço.
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
rmedinacamara
26/08/2010 às 21:31:13
  (1 voto)
São Luís - MA
Muito bom! Nem sempre a compra do imóvel é a melhor alternativa. Cada caso necessita de uma análise.
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
JEOMAR
07/10/2010 às 18:59:35
  (4 votos)
Vitória - ES
No meu caso, não tenho condições de comprar um imóvel na região em que resido, mesmo financiado. Onde posso comprar, distante 30 km da área de interesse, cria despesas que antes não existiam e torna o sonho da casa própria mais distante. Preciso aumentar minha renda ou meus rendimentos, caso contrário fico onde estou. Afinal time que está ganhando não se meche. Obrigado. Gostei da matéria.
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
07/10/2010 às 22:50:50
  (254 votos)
Campinas - SP
JEOMAR, o primeiro passo é assumir seu perfil e depois buscar a solução. Vejo que essa parte você já cumpriu, ou seja, sabe o que pode e o que não pode comprar.

Morar perto do local de trabalho é sinônimo de qualidade de vida e de economia. 30 Km é uma distância bastante considerável e que aumentaria seus gastos com transporte todo mês. Essa quantia você pode começar a poupar!

Você falou apenas em aumentar sua renda ou seus rendimentos, mas esqueceu de um ponto fundamental que é controlar as despesas para começar a poupar em itens que não são tão necessários assim.

Refaça suas contas, comece a se organizar financeiramente, a poupar, investir e tentar aumentar sua renda. Você verá que em breve poderá realizar o sonho da casa própria. Abraço!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Helison
01/03/2011 às 10:13:15
  (1 voto)
Moro no Rio de Janeiro e meu caso é o seguinte, casarei em janeiro de 2012 e somente eu trabalho, minha noiva concluirá a faculdade em julho de 2012 e não possui remuneração. A minha dúvida é justamente qual a melhor opção, aluguel ou financiamento. Possuo um carro que, caso financie o imóvel, seria a entrada. Os imóveis da minha região estão com o preço em média de R$150.000. Considerando que o artigo já possui mais de 1 ano, atualmente qual o fator determinante para a decisão?
Abraços
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
18/03/2011 às 00:21:00
  (254 votos)
Campinas - SP
Helison, tudo bem? A compra de um imóvel é uma decisão bastante peculiar e que pode variar de pessoa para pessoa, mas darei minha opinião.

Você mencionou que sua noiva ainda está estudando. Já sabe se ficarão no Rio de Janeiro mesmo? Já decidiram o bairro que querem morar pelos próximos anos? Se ainda existe dúvida em relação a isso, o aluguel pode ser uma opção vantajosa no momento.

Outro ponto é estudar o valor do aluguel para um imóvel do mesmo tipo do que deseja comprar e compará-lo com a taxa de juros de uma aplicação financeira de renda fixa que renda mais do que a poupança (Fundo DI, CDB DI, Tesouro Direto, etc.). Se o valor da taxa do aluguel for inferior ao da aplicação, talvez compense morar um tempo de aluguel até juntar mais dinheiro para uma entrada maior.

Por outro lado, como o valor do imóvel é relativamente baixo, não acredito que venha a cair no curto e médio prazo. Se tiverem dinheiro para uma boa entrada e uma boa condição financeira para arcar com o financiamento sem se "apertar" muito pode ser uma boa opção comprar o imóvel e tentar quitá-lo antes do prazo final do financiamento para não pagar muitos juros. As taxas de juros para imóveis dessa faixa de valor costumam ser mais atraentes.

A decisão não é fácil. Costumo dizer que a tranquilidade vale muito nessas horas. Se consegue comprar com certa folga vá em frente, caso contrário, sou a favor de acumular mais dinheiro para dar uma boa entrada ou mesmo comprar o imóvel à vista, sempre lembrando de seu compromisso com o controle financeiro de seu orçamento.

Conte conosco no que precisar. Um abraço!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Val
12/08/2011 às 00:51:31
  (2 votos)
Boa noite. Estou simulando várias opções na planilha, mas não sei se estou certa... Gostaria de uma consultoria e vou te fazer um resumo como o colega acima... rsrs... Meu noivo e eu temos R$ 70.000,00 para construção de nossa casa em terreno próprio que, hoje, vale R$ 65.000,00. Estimamos que nossa construção fique em torno de 200.000,00. Fazemos aportes mensais numa poupança de R$ 1.000,00 e aluguel de R$ 700,00. Em cima desses números, depois de ler bem o texto, "fuçar" na planilha e fazer várias simulações no site da Caixa...rs..., estou tendenciosa a optar pelo aluguel mas não sei se fiz a análise da maneira correta. Gostaria da sua opinião. Um abraço.
Avalie este comentário:   (2 votos) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
19/08/2011 às 16:19:10
  (254 votos)
Campinas - SP
Val, como já comentei, esse tipo de decisão passa por diversos fatores, alguns mais práticos e matemáticos, outros mais emocionais. Isso é normal. Precisaria de mais informações a respeito do seu caso, mas vou comentar com base no que relatou.

Gosto bastante da opção da construção, pois nela você "pagará" um valor muito mais próximo do valor justo do imóvel do que no caso da compra com uma construtora ou com terceiros. Por outro lado, possivelmente poderá ter problemas com fornecedores, além de precisar de tempo para acompanhamento da obra. Mas, mesmo com essas ressalvas, financeiramente a construção vale mais a pena.

Do ponto de vista de tempo, acredito que ainda não seja o momento de vocês construírem, pois ainda faltam R$130.000 de acordo com seus cálculos. Se os R$1.000 que aplicam todo mês também forem o valor máximo que conseguem pagar de parcela em um financiamento, então eles não serão suficientes para o financiamento do restante do dinheiro que falta para a construção.

Sugiro duas coisas. Primeiro, que continuem no aluguel e juntem mais dinheiro para o início das obras e também do possível financiamento, tentando diminuir ao máximo o valor do financiamento. Segundo, que procurem algum produto financeiro que seja seguro, mas que ofereça uma rentabilidade acima da rentabilidade da poupança para fazer com que o dinheiro renda com mais qualidade. Lembrem-se de investir de forma segura, não aceitem nenhuma modalidade de renda variável. Um bom exemplo seria negociar uma boa taxa de remuneração para um CDB-DI junto ao banco. Algo acima de 95% a 97% do CDI já seria o suficiente para obter uma rentabilidade acima da poupança, e de preferência que a aplicação dure mais de 2 anos para pagarem o mínimo possível de imposto de renda.

Quando tiverem mais de 50% a 60% do valor da obra será um bom momento para iniciarem a construção desse sonho. Além disso, mantenham o controle das finanças e tentem aumentar a renda do casal.

Me parece que vocês estão fazendo as escolhas corretas, porém ainda falta um pouquinho de tempo para conseguir concluir esse projeto de forma prudente e sem "colocar o carro na frente dos bois". Vocês estão no caminho certo e acredito que mais dois ou três anos de poupança e investimentos constantes serão ótimos aliados para a conclusão desse sonho. Conte conosco nessa caminhada e parabéns pela disciplina e pelas escolhas conscientes. Abraços!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Junior_VRF
01/09/2011 às 14:11:41
  (1 voto)
Sinésio, boa tarde,

Sobre este assunto, gostaria de contar com seus esclarecimentos a respeito da aquisição da casa própria feita por mim. Inicialmente colocarei o meu ponto de vista a respeito e, em seguida os dados da transação e as dúvidas:
1 - Segundo tenho observado, através da leitura de livros e
artigos sobre o assunto, essa questão da aquisição da
casa própria financiada versus a opção do aluguel
juntamente com a poupança dos excedentes, muitas vezes
tem sido colocada apenas do ponto de vista
financeiro. Por simples cálculos matemáticos podemos
perceber a vantagem que representa receber juros ao
invés de remunerá-los. No entanto, existem duas
questões, mais não só essas, que considero
fundamentais para iluminar as decisões a respeito.
A que considero mais impotante diz respeito à
impossibilidade de calcularmos o que representa o lugar
que escolhemos para morar em relação à nossa
tranquilidade e ao crescimento e desenvolvimento de
filhos pequenos por exemplo. Essas coisas não tem
preço nem se pode mensurar. A alternativa do aluguél
poderá financeiramente se mostrar mais vantajosa porem
de difícil execução e manutenção, sem tocar na questão
do lugar em si que, além de poder estar aquém, em
termos de qualidade de vida, poderá ter que sofrer
deslocamentos, com todo o estresse envolvido. A segunda
questão é a que me parece fugir um pouco da realidade
de como as coisas são e de como as pessoas se
comportam. Um prazo de 10, 20, 30 anos até, é muito
tempo para que se peça a alguém para diminuir o seu
padrão e poupar os excedentes.
Ninguém faz isso por comportamento e muito menos os
acontecimentos da vida o permitirão. Sem falar que,
a depender da idade, ficaria improvável. Acredito
que deverão ser observados uma mediação do
custo/benefício em relação ao tempo de execução,
sempre tendo em vista a capacidade e o momento de vida
de cada um.
2- Sou casado, tenho 46 anos e minha esposa 42, temos um
filho RN e a dois anos atrás fiz a aquisição de uma
casa de 3Q na planta, num condomínio de casas, com infra
de lazer, justamente pensando em propiciar um local com
espaço e com possibilidade que meu filho tenha uma
infância sadia e que possa crescer e se desenvolver
juntamente a outras crianças do lugar, além da nossa
tranquilidade e segurança. Estou finalizando o pagamento
da poupança e o momento do financiamento se aproxima.
Colocarei a seguir os dados:
Valor na aquisição: R$271.000,00
Valor da Poupança : R$ 95.000,00
Saldo nominal : R$176.000,00(corrigido pelo icc)
Saldo atualizado : R$202.000,00(a financiar)
Renda do casal : +/-R$9.000,00 bruto
3- Dúvidas:
Para que a casa possa ser habitada um mínimo de
gasto terá que ser feito em termos de mobiliário,
utensílios e decoração. Atualmente tenho uma poupança
de R$130.000,00, além de haver algum saldo de FGTS,
tanto meu quanto da esposa. Desse valor terei que
separar uma parte para esse gasto com a casa e o
que devo fazer com o restante? Utilizá-lo para abater o
saldo a financiar? Manter essa poupança investida e
financiar o máximo que puder? Qual a melhor alternativa?
Conto com sua atenção, Saudações, Júnior
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Clodoaldo
18/09/2011 às 23:01:24
  (1 voto)
Penápolis - SP
Boa noite Sinésio.
Moro no interior paulista e gostaria de uma opinião sua.
Estamos pensando em financiar uma casa. A nossa renda bruta é de R$ 7.100,00. O imóvel que desejamos custa em torno de R$200.000,00. Tenho FGTS para entrada (R$30.000) e o restante penso em financiar em 360 meses, resultando em uma prestação mensal de R$1.800,00 (teria que diminuir meu padrão de vida para pagar esse valor). Se eu alugar um imóvel do mesmo nível devo pagar em torno de R$850,00. Pelo nossos cálculos conseguiríamos guardar R$500,00/mês. A dúvida é a seguinte: vale a pena financiar? já que com o aluguel minha situação fica mais em "conta", não preciso diminuir meu padrão de vida e ainda consigo poupar; ou financio e me "aperto", mas estarei pagando por algo que vai ser meu.
Espero uma resposta sua e desde já agradeço.

Clodoaldo
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
mauriciooliva
16/11/2011 às 10:20:47
  (0 voto)
Bom dia, li seu artigo e gostaria de uma ajuda para sanar minha dúvida>
Comprei um imóvel de 533 mil, já paguei 303 mil e preciso decidir em quanto tempo vou financiar o saldo de 230 mil, ou seja, se devo financiar este imóvel em menos tempo(10 anos por exemplo) ou mais tempo(30 nos), lembrando que a parcela do financiamento em 10 anos eu tenho como assumir e pagar,embora fique menos confortável(não impossível)e que num prazo de trinta anos a parcela fica menor, bem mais confortável...entretanto não preciso dizer que em 10 anos pagaria um valor final bem menor do que 30 anos, mas a minha intenção é fazer um financiamento em mais tempo (reduzindo o valor da parcela)para dar uma maior conforto inicial (já que terei gastos iniciais com colocação de piso e mobiliar o apartamento) e após mais ou menos 1 ano começar a pagar, quando possível, duas parcelas por mês para reduzir o prazo de financiamento pela metade...a minha dúvida é : se eu pagar mais rápido (duas parcelas por mês) é como se eu tivesse feito um financiamento támbém pela metade do tempo? E assim fico com uma parcela mais confortável para o caso de num determinado mês não conseguir pagar duas e só realizar o pagamento de uma e não ficar inadimplente...aguardo um retorno, um abraço e parabéns pela ótima matéria.
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
20/11/2011 às 23:52:06
  (254 votos)
Campinas - SP
Junior, você tocou num ponto importante. Não adianta sofrer 20 anos para acumular o dinheiro necessário para a compra do imóvel à vista e ficar infeliz durante esse período, por mais que financeiramente seja uma boa alternativa.

Mas isso não significa que seja algo difícil ou impossível de ser feito. Muitas pessoas conseguem viver suas vidas inteiras poupando boa parte de suas receitas, e nem por isso são menos felizes.

A solução passa por encontrar em equilíbrio entre as duas alternativas. Talvez morar de aluguel e investir na decoração (sem exageros) para deixar a casa do seu jeito. Ou ainda poupar uma boa quantia para financiar uma pequena parte e realizar o sonho da casa própria antes do período total de poupança para a compra à vista. Enfim, vai depender de casa pessoa e de suas prioridades em relação a conforto, independência financeira e satisfação pessoal.

Agora, sobre o seu caso específico. Em primeiro lugar procure sempre manter uma reserva de no mínimo seis vezes os seus gastos mensais. Isso garantirá que no caso de alguma emergência ou falta de emprego momentânea você se mantenha por seis meses.

Além disso, sempre aconselho o uso do FGTS para amortização do valor a ser pago na casa própria. O dinheiro do FGTS é muito maltratado e rende bem menos que a poupança. No seu caso eu usaria a totalidade do saldo do FGTS para abatimento no valor do financiamento.

Em seguida, faria uma poupança de cerca de R$60.000,00 e a deixaria aplicada em renda fixa com boa liquidez. Amortizaria o saldo a ser financiado com mais R$60.000,00 e utilizaria o restante para mobiliar a casa aos poucos. Com isso seu saldo a ser financiado cairia de R$202.000,00 para menos de R$140.000,00. Com uma parcela bastante próxima da que você teria para financiar os R$202.000,00 em 30 anos você conseguiria financiar os menos de R$140.000,00 em cerca de 10 anos. Sempre lembrando que, em geral, quanto menor o prazo do financiamento, melhor para seu bolso, ou seja, mesmo com um financiamento de 10 anos, eu te aconselharia fortemente a tentar quitá-lo num prazo menor. Basta ter disciplina.

Espero ter ajudado. Se por acaso quiser maiores detalhes ou uma consultoria personalizada é só entrar em contato conosco. Abraços e parabéns pela aquisição.
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
21/11/2011 às 00:24:15
  (254 votos)
Campinas - SP
Clodoaldo, tudo bem? Dos R$200.000,00 do imóvel vocês teriam de dar uma entrada de cerca de 20%, ou seja, R$40.000,00. Para isso, teriam de completar o valor do FGTS, salvo engano, desde que o imóvel esteja escriturado e registrado.

Não me agrada a idéia de "se apertar" para adquirir o imóvel, visto que imprevistos podem acontecer no meio do longo caminho do financiamento. Minha sugestão é de partir para o aluguel, ter disciplina e comprometimento com suas finanças e poupar por cerca de três a cinco anos para aumentar consideravelmente o valor da entrada.

O risco nessa estratégia é o de o preço dos imóveis subir e todo o dinheiro poupado durante esses anos perder poder de compra. Mas, visto que o preço dos imóveis subiu bastante nos últimos três a cinco anos, fica mais difícil de acreditar que o mesmo fenômeno possa se repetir, apesar de ser completamente cabível que isso aconteça. Por isso, é importante que o dinheiro poupado seja investido de forma conservadora, mas buscando uma rentabilidade acima da inflação.

Por fim, um "puxão de orelha". Se você conseguiria "se apertar" durante 30 anos para pagar uma parcela de R$1.800,00 no financiamento, por que não consegue se apertar morando de aluguel por três a cinco anos para completar os mesmos R$1.800,00? Os R$500,00 que disse que conseguiriam poupar somados aos R$850,00 do aluguel perfazem um total de R$1.350,00. Ainda faltam R$450,00 para chegar nos R$1.800,00. Você não informou se nos R$850,00 já estão incluídos gastos com condomínio e IPTU se forem aplicáveis ao seu caso. Mesmo assim, morando no interior de SP, acredito que esses gastos sejam inferiores aos R$450,00. Se a taxa de condomínio não for aplicável ao seu caso, então, você teria cerca de R$400,00 a mais para juntar aos R$500,00 em suas aplicações mensais. Isso faria uma bela diferença!

Procure o equilíbrio entre a realização do sonho da casa própria e seu conforto financeiro. Estude o aluguel com carinho, por um período curto de tempo, que servirá para poupar um valor a mais para dar de entrada e ganhar fôlego para não "se apertar", ok? Um abraço e bons investimentos!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
22/11/2011 às 01:18:15
  (254 votos)
Campinas - SP
Mauricio, tudo bem? Concordo com você. Não me agrada a idéia de "se apertar" para pagar em 10 anos. Também é sabido que em 30 anos você pagará um valor bem mais alto. Procure um meio termo. Algo como 15 a 20 anos talvez.

Além disso, sua ideia de antecipar parcelas é bastante válida, desde que tenha disciplina para poupar para os pagamento adiantados. Esse ponto é fundamental. Em relação ao saldo a ser amortizado, vai depender do seu contrato. Procure saber como o saldo será recalculado e se compensa mais pagar duas parcelas de cada vez ou se é melhor acumular um valor maior para amortizar vários meses de uma vez. Se quiser mais detalhes ou uma consultoria personalizada entre em contato conosco. Espero ter ajudado. Abraço!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
VictorP
22/11/2011 às 20:29:59
  (1 voto)
Olá Sinésio! Gostaria de saber o que você acha que devo fazer pois estou em duvida se saio do aluguel e financio um apartamento. Tenho 26 e meu aluguel é de R$615,00 e pretendo comprar um apartamento de R$200.000. Juntando eu e meu marido temos renda de R$13.000 e tenho dois financiamentos totalizando R$3.200. Pretendemos dar R$50.000 de entrada. Você acha que devemos continuar no aluguel e juntar mais dinheiro para entrada ou devemos fazer o financiamento? Se acha que devemos juntar mais dinheiro para entrada qual o valor que considera viável?
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
gogobio
04/12/2011 às 11:27:29
  (0 voto)
Bom dia Sinésio, suas palavras foram muito esclarecedoras para a tomada dessa decisão difícil. No meu caso, vim para trabalhar numa cidade que não me agrada muito e já moro de aluguel a 5,5 anos pagando R$ 580, (aluguel+condom.) e assim consegui poupar o suficiente para comprar um imóvel de mesmo padrão porém novo. Valor R$ 153.000, Já paguei o lucro da construtora (poupança) à vista e ganhei 10% desconto. Também já paguei o sinal e dei entrada com meu FGTS (R$ 38.000,) ficando um saldo devedor de R$ 88.000, . Entendi pela matéria que se possuo o referido valor em poupança vale muito mais a pena quitá-lo de uma vez, ao invés de cair na loucura da taxa de juros de um financiamento. É certo que ficarei descapitalizado, mas pelo menos não arcarei com uma dívida de 20 ou 10 anos. Você concorda com meu raciocício? Só uma dúvida com relação a aplicações em renda fixa: é possível negociar com o banco aplicações de 2 anos para evitar IRPF ? E mais uma vez, parabéns pelos valorosos esclarecimentos.
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
05/12/2011 às 17:09:18
  (254 votos)
Campinas - SP
VictorP, precisaria de mais detalhes para seu caso, mas farei algumas considerações. A renda de vocês é boa e o valor atual do aluguel, mesmo sem maiores detalhes, parece ser bem razoável. Para o financiamento, as parcelas não poderão ultrapassar o limite de 30% ou 35% da renda, dependendo do banco. Por isso, é preciso que façam as contas para ver se os financiamentos atuais não comprometem a aquisição de um novo financiamento.

Me parece que o potencial de poupança de vocês é alto, por isso, seria interessante juntar um pouco mais para a entrada, pois estão com um aluguel confortável. Acredito que consigam melhorar bastante a entrada com pouco tempo de poupança.

Posso estar errado, mas a situação de vocês parece tranqüila. Sendo assim, a aquisição do sonhado imóvel é uma questão de prioridades e escolha pessoal. Eu daria preferência para aumentar a entrada e financiar o mínimo possível, mas, se ainda assim quiserem adquirir o imóvel rapidamente, não acredito que terão problemas. E não se esqueçam de fazer uma reserva para emergências e também para os gastos iniciais com o imóvel, como mobília e reforma/acabamento, antes de assumir um financiamento. Abraços e não deixe de nos contar da escolha de vocês.
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
05/12/2011 às 17:45:51
  (254 votos)
Campinas - SP
gogobio, tudo bem? Você está no caminho certo. Só tome cuidado com uma coisa. Não adianta se descapitalizar para quitar o imóvel se para isso você tiver de abrir mão de sua reserva de emergência. Lembre-se também que terá gastos iniciais com a moradia. Se esse for seu caso, procure dar o máximo de entrada possível, de forma a manter essa reserva de capital, e depois procure amortizar as parcelas do financiamento para quitá-lo em menos tempo. Fique de olho no contrato e veja as cláusulas sobre quitação antecipada e amortização de juros.

Sobre aplicações de renda fixa, não é possível evitar a incidência de imposto de renda na fonte se as aplicações forem passíveis dessa tributação. O que você consegue é diminuir a alíquota dependendo do prazo do investimento. Mas isso não é questão de negociação, é lei. Abraço e boa compra!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Karol
12/12/2011 às 13:42:21
  (2 votos)
Brasília - DF
Boa tarde!

Gostaria de saber qual é a melhor opção "compra" ou "aluguel" levando em consideração alguns fatores:

Meu esposo possui um imóvel avaliado em torno de R$ 500.000,00 podendo variar para mais" e dispomos de uma poupança de R$ 80.000,00; O imóvel dos nossos sonhos está à venda por R$ 1.380.000,00, recebemos uma proposta do dono do imóvel, para locação valor mensal R$ 6.000,00; Nossa renda bruta mensal é em torno de R$ 9.000,00. Sendo assim pergunto a você:

1)Seria melhor aceitar a proposta de locação por 01 ano? ou,

2)Conseguiríamos uma financiamento de no máximo R$ 190.000,00 para comprar este imóvel o que não daria para efetivar o negócio. O que você sugere no nosso caso? Qual a melhor alternativa?

Considera o aluguel muito alto para os nossos rendimentos ou eu sou muito insegura?

Fico aguardando ansiosa sua resposta! Muito obrigada

Karol
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
13/12/2011 às 01:22:05
  (254 votos)
Campinas - SP
Karol, tudo bem? Vamos lá!

Por que 01 ano de aluguel apenas? E depois desse período? Confesso que não entendi a pergunta. Se a idéia for morar de aluguel para poupar mais dinheiro, como verá abaixo, essa alternativa pode ser comprometida pelo alto custo do aluguel em relação à renda de vocês.

Como você citou, mesmo juntando todos os rendimentos e patrimônio, ainda assim não seria possível efetivar o negócio. Vocês precisariam de um financiamento bem maior ou de uma poupança para entrada também bem maior.

O aluguel em relação ao preço do imóvel é baixo (0,43%), mas em relação à renda bruta mensal de vocês é bastante alto. Vocês sairiam de um padrão confortável, afinal possuem um apartamento de R$500.000,00, para um padrão um pouco mais confortável, mas bem mais apertado financeiramente. Só com o aluguel comprometeriam quase 70% da renda, e ainda precisariam arcar com despesas como condomínio e contas corriqueiras do dia-a-dia. Não me parece sensato. Termino com uma pergunta:

Vale a pena morar no imóvel dos sonhos e perder o sono por causa do aperto financeiro? Pense melhor e talvez perceba que ter uma vida dos sonhos é não ter dívidas e poder aproveitar o dinheiro que sobra com investimentos para a independência financeira, viagens com a família, lazer nas horas de descanso e bens de consumo para seu próprio conforto. Se quiserem aumentar o padrão do imóvel de vocês, vão em frente, mas com um passo de cada vez, e não tentando quase triplicar o padrão em apenas uma passada. Abraços e conte pra gente o que decidirem!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
luizvs
13/12/2011 às 10:52:27
  (1 voto)
Para enriquecer a discussão:
http://lab.duxus.com.br/imoveis/
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Karol
13/12/2011 às 12:05:30
  (2 votos)
Brasília - DF
Sinésio, primeiramente obrigada pelo retorno rápido! Então, na verdade o aluguel seria uma forma de avaliarmos se vale a pena investirmos futuramente em uma casa mesmo ou em um apartamento. Por isso o contrato seria de 01 ano com a casa e alugaríamos o nosso imóvel pelo mesmo período. Logo após avaliaríamos a possibilidade de compra desta casa especificamente ou de uma outra. Nós temos também outras rendas temporárias que completariam nosso orçamento neste período, se fosse o caso.

Obrigada,
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Vinicius
06/01/2012 às 15:46:40
  (1 voto)
Boa tarde Sinésio,
Aproveitando o ensejo sobre o tema tratado, gostaria da sua opinião sobre a minha situação.
Tenho interesse em financiar (em 10 anos) um apto no valor de 200 mil reais, dando de entrada 40 mil reais. Minha renda bruta é de R$ 8.500,00. Pago atualmente aluguel de R$ 850,00 e tenho conseguido poupar mensalmente cerca de 4 mil reais.
Sei que consigo, em cerca de 4 anos, comprar o apto à vista no valor proposto, porém, nesse mesmo prazo irei desperdiçar cerca de uns 45 mil com aluguel, sem contar a possível valorização do imóvel.
Além disso, possuo a vantagem de poder financiar junto ao Banco do Brasil com juros de 8,4% ao ano (convênio).
Fazendo uma simulação no site (prazo de 10 anos), arcaria com o valor inicial do financiamento (sistema SAC) de R$ 2.500,00. Considerando que não irei mais pagar aluguel (850 reais) e já conseguia poupar 4 mil reais antes, ainda me sobraria cerca de R$ 2.350,00 para poder amortizar o saldo devedor e com isso poderia quitar em menos de 10 anos.
Acredito que seja um bom negócio, todavia, pra mim não ficou claro, pelo Banco do Brasil, como se daria a amortização antecipada, ou seja, se poderia pagar apenas o valor do principal (R$ 1.333,33 - que é sempre fixo em todas as parcelas), sem juros e tarifas (seguro, administração, etc) ou incidiria tudo (principal, algum tipo de juros e tarifas).
Já li e reli a minuta do contrato (http://www.bb.com.br/docs/pub/voce/dwn/contratosfh.pdf), além de já ter conversado com duas funcionárias do banco sobre esse assunto, porém, ainda não consegui entender como funciona a amortização antecipada, mesmo pq ambas as funcionárias se divergiram nas respostas.
Assim, se puder me ajudar, sobretudo, com exemplos, ficarei muito grato.
Atenciosamente.
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Oxxygenium
15/02/2012 às 02:03:16
  (1 voto)
Primeiramente gostaria de dar os parabens pela planilha e pelas explicaçoes !

o meu caso é o seguinte comprei um imovel na planta no valor de 1,5mi e hj o mesmo valorizou e esta valando 2,2mi eu ja paguei 500mil e o saldo devedor é de 1mi

contratei o financiamento pelo itau em 360 meses porem ainda nao assinei o contrato... eu vendi a outra casa que tinha e possuo 1mi para quitar o imovel...

sendo assim olhando a planilha eu fiz os calculos e cheguei a conclusao que se eu aplicar o valor terei a longo prazo um patrimonio muito mais alto do que se eu quitar o imovel...

ex.. se eu financiar 1mi em 360 meses teria pago 2,8mi
porem se eu aplicar 1mi em 360 meses eu teria 14mi aproximadamente

hj eu possuo renda para pagar a prestacao sem mexer na aplicacao e ainda ir amortizando com recursos proprios alguns anos.. porem nao sei quanto tempo pode durar a maré boa... em resumo

qual a melhor solucao para meu caso? quitar ou seguir com o financiamento?

abçs

HC
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
caesar
23/02/2012 às 16:15:57
  (1 voto)
Parabens pelo site e principalmente pelos detalhes nas explicações. Gostaria, se possível, de tua análise sobre a seguinte situação: Comprei um apartamento no valor de R397.000,00. Dei R$ 44.000,0 de entrada e estou pagamendo 26 prestações de R$ 1.350,00 até a entrega das chaves quando devo pagar mais R$ 44.000,00, e ainda pagarei até as chaves 4 reforços de R$ 4.000,00. Ficará R$ 257.900,00 para financiar. Tenho um apartamento avaliado em R$ 200.000,00 cujo aluguel renderia R$ 1.000,00 por mes. Minha dúvida é vale mais a pena em manter o apartamento atual e financiar o valor restante, isto é, R 257.900,00, utilizando os R$ 1.000,00 do aluguel para compor o valor da prestação ou sria mais vantajoso vender o ap e financiar somente R$ 57.000,00, economizando a diferença entre as preatações para adquirir depois de 180 meses ou 240 meses, outro apartamento. Um Tríplice Abraço...
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Witchery
17/03/2012 às 14:01:50
  (1 voto)
Gente desculpa, mas sou péssima pra entender planilhas então irei expor minha situação. Tenho 75mil na poupança, desses 75 provavelmente eu iria gastar 5 mil na papelada pra aquisição de um imóvel com taxas e cartórios, escritura etc. Minha dúvida é a seguinte tenho um salario bruto de 2500 reais, tem como financiar um apto. de 250 mil dando 70mil de entrada? Quanto seriam as prestações pela tabela SAC? Vale a pena comprar? Ou morar de aluguel.
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
02/04/2012 às 22:21:27
  (254 votos)
Campinas - SP
Vinícius, tudo bem? Vejo que seu caso é bastante tranqüilo. Você praticamente já respondeu suas próprias dúvidas. Como citado, você conseguiria comprar o mesmo imóvel à vista dentro de cerca de três anos, mas para isso iria gastar cerca de R$40.000 com aluguel. Você tem uma ótima linha de crédito disponível com juros muito atrativos. Se sua renda for constante e tiver segurança em seu emprego, pode partir para o financiamento tranquilamente. Quanto à quitação antecipada, o ideal seria procurar um bom advogado tributarista ou consultar o PROCON de sua cidade. Olhei rapidamente o contrato e pelo que pude perceber não existe nenhuma "pegadinha", mas como não sou especialista nessa área, reforço a sugestão de consultar um profissional. Desde 2007 é proibida a cobrança da TLA (Tarifa de Liquidação Antecipada), mas o próprio contrato já cita essa proibição. Por último, com essa linha de crédito de qualidade que possui, você poderia até pensar em aplicar os R$2.350 em alguma aplicação que renda mais que os juros do financiamento. Atualmente isso é bem possível. Assim, provavelmente, você teria mais dinheiro ao final dos 10 anos com a aplicação, do que se antecipasse a quitação. Se o financiamento for algo que lhe preocupe muito, mesclar as duas alternativas também é uma possibilidade interessante. Um abraço e parabéns pela futura casa nova!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
02/04/2012 às 23:32:38
  (254 votos)
Campinas - SP
Oxxygenium, tudo bem? No seu caso precisaria de mais detalhes para poder oferecer uma opinião mais adequada. Apenas algumas observações: se o imóvel se valorizar ao ritmo da inflação, ao final de 360 meses, ele deverá valer entre 6 e 7 milhões. Além disso, esses 14 milhões terão um poder de compra inferior ao que possuem hoje. Isso indica que essa diferença que citou não será tão grande assim, apesar de meus cálculos apontarem para um patrimônio realmente maior pelo caminho da aplicação, desde que observadas as premissas citadas. A maré boa deve ser levada em consideração, pois se ela "virar" pode lhe trazer alguma preocupação. O ponto principal é manter o dinheiro de forma segura com uma boa rentabilidade, mas sem grandes riscos. O fato de ter o dinheiro para quitação antecipada caso algum imprevisto ou insegurança aconteça, sem dúvida é algo tranqüilizador. A decisão final tem que ser sua, mas espero ter ajudado. Não deixe de pensar em uma situação intermediária, onde utilizaria parte do dinheiro para diminuir o financiamento, ok? Bons negócios!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
02/04/2012 às 23:48:50
  (254 votos)
Campinas - SP
caesar, como você bem colocou, com o aluguel irá obter cerca de 0,50% a.m. bruto de rentabilidade. Já no financiamento irá pagar bem mais que 0,50% de juros a.m.. Sendo assim, financeiramente seria mais vantajoso vender o apartamento para abater o máximo que conseguir do financiamento. É preciso ressaltar que o apartamento antigo poderá se valorizar nesse período, mas isso é difícil de prever, visto que os imóveis já tiveram uma excelente valorização nos últimos anos. Além disso, teria de ir renovando o valor do aluguel de tempos em tempos também para não perder ainda mais poder de compra. Espero ter ajudado. Um abraço!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
03/04/2012 às 00:33:56
  (254 votos)
Campinas - SP
Witchery, tudo bem? O financiamento desejado é de cerca de R$180.000, porém sua renda não comporta uma parcela para esse valor de financiamento. Você conseguiria financiar no máximo algo entre R$70.000 e R$85.000. Ou seja, somado com sua reserva, o apartamento teria de custar entre R$140.000 e R$155.000. Esses valores são aproximados, por isso é importante consultar um banco de sua preferência para saber exatamente o valor que consegue financiar. Uma alternativa é guardar um pouco mais de dinheiro para aumentar o valor da entrada. Outra alternativa é tentar aumentar sua renda ou adicioná-la à de alguém que possa assumir o financiamento contigo. Espero ter ajudado. Um abraço!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
kadufrusso
15/04/2012 às 14:24:33
  (1 voto)
Sinésio,

Gostei da planilha porém não achei interessante misturar aportes mensais com um problema que se resume a comprar ou alugar um imóvel. Isso gera distorções.

Acredito que fosse mais interessante como análise de investimento trazer a valor presente por uma taxa qualquer - CDI a.m., por exemplo - todas as prestações pagas para adquirir o imóvel e o valor venal ao fim de 240 períodos e somar com o valor da aquisição na data zero. Como resultado você teria a construção ou distruição de riqueza deste investimento - no caso, um imóvel.

Como comparativo você traria a valor presente todas os aluguéis pagos nestes 20 anos e veria o quanto de riqueza pessoal foi destruído no período.

Acredito que assim restringiríamos a análise apenas ao ativo imobiliário. O que achas? Se quiseres lhe envio uma planilha para facilitar a visualização.

Abçs e parabéns pelo trabalho!
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
eulercg
01/05/2012 às 09:14:00
  (1 voto)
Caro Sinésio,

Minha situação é a seguinte, sou solteiro, mas pretendo me casar em 2014.

Comprei um apartamento na planta pelo valor de R$143.000,00, e já paguei aproximadamente R$93.000,00, ficando um saldo de R$50.000,00.

Trabalho em uma cidade a 120km de distância desse apartamento, e portanto terei que comprar ou alugar outro apartamento na cidade que trabalho (atualmente divido apartamento com colega de trabalho).

Minha dúvida é a seguinte, vale a pena financiar o saldo devedor pela caixa, visto que sou servidor federal, tenho crédito pré-aprovado.

estou pensando em ficar com o apartamento, pois a localização e o acabemento é muito bom, colocar para alugar, e com o dinheiro do aluguel pagar as prestações, e juntar dinheiro para comprar outro apartamento ou casa após o casamento.

Outra coisa, é mais vantagem financiar com um prazo maior, pois o aluguel do apartamento cobritia completamente o financiamento e eu faria aplicações mensais com minhas economias?

Agradeço antecipamente sua atenção.
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
agapan
13/06/2012 às 00:31:09
  (1 voto)
Caro Sinésio, parabéns pelo artigo.

Pergunto: com essa baixa nas taxas de juros, acredito que este é um momento mais propício para se fazer um financiamento e deixar o aluguel de lado. Avaliando a planilha, o meu aluguel atual fica em 0,5% do valor do imóvel que quero comprar. Aluguel é R$ 1000,00 e valor do imóvel é R$ 200.000,00. Não tenho entrada significante para dar, de fato que teria que financiar integralmente (meu convênio permite). Minha renda está em torno de 4 mil reais, e disponho hoje de um montante pequeno (R$ 200,00) para investir em poupança ( livre do aluguel que pago). Não tenho dívidas com outros financiamentos. Recomenda que eu financie?? :-)
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
26/06/2012 às 14:51:11
  (254 votos)
Campinas - SP
Kadu, obrigado pela observação. Interessante seu ponto de vista. Mas note que a dúvida em questão no artigo é recorrente de muitos usuários. Ou seja, a pergunta é: Será que vale a pena alugar e investir a diferença entre a parcela e o aluguel no longo prazo? É isso que o artigo busca responder. Obviamente, parte-se da premissa de que o valor da parcela é maior do que o valor do aluguel + condomínio. Um abraço e obrigado!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Marília
13/07/2012 às 14:34:23
  (1 voto)
Sete Lagoas - MG
Prezado Sinésio:

Eu e meu marido estamos com muitas dúvidas sobre: comprar, construir ou alugar um imóvel.
Tenho 28 anos e meu marido 30 anos. Estamos casados há 2 anos e ainda não temos filhos. Somos servidores públicos, o que nos dá certa tranqüilidade financeira.
Atualmente pagamos R$ 950,00 de aluguel, nossa renda bruta é de aproximadamente R$8.500,00 e conseguimos poupar em torno de R$ 3.500,00 por mês. Temos ainda uma poupança de R$ 145.000,00 e dois terrenos avaliados em R$ 40.000,00 cada.
Estamos pensando em comprar um terreno em um condomínio fechado em nossa cidade (R$ 250.000,00) e construir. Para isto, precisaremos financiar. O preço estimado para a construção é de R$ 350.000,00. Estamos na dúvida se estamos dando um passo muito maior do que podemos, pois acreditamos que a casa depois de pronta no condomínio possa valer algo em torno de R$ 850.000,00. Ou seria melhor comprar uma casa com preço em torno de R$500.000,00 já pronta para morar? Nossos familiares nos aconselham comprar um apartamento pequeno, central e mais barato, em torno de R$300.000,00, quitar em poucos anos e dar de entrada numa futura casa. O que você nos aconselha?

Obrigada
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
15/07/2012 às 15:03:24
  (254 votos)
Campinas - SP
euler, se tiver o dinheiro para quitação, sugiro que o faça. Caso contrário, vale a pena sim, pois as taxas da Caixa são muito competitivas no mercado. Em geral, quanto maior o prazo, maior o valor final pago e menores as parcelas. Por isso, sugiro que faça o financiamento mais curto que puder para quitar o quanto antes o apartamento. Se tiver condições, complete o valor do aluguel para equiparar com a parcela do financiamento. Com o apartamento quitado, todo o dinheiro do aluguel poderá ser investido para passar a receber juros, e não mais pagá-los. Junte à ele o dinheiro que você economiza todo mês para "turbinar" seu processo de acumulação. Com uma boa entrada acumulada, você poderá comprar o apartamento na cidade escolhida para viver, talvez até sem que seja necessário um novo financiamento, desde que a venda de seu primeiro apartamento seja suficiente para cobrir o valor. Precisaria de mais detalhes para traçar mais cenários no seu caso, mas, se entendi bem, em princípio essas são minhas sugestões. Espero ter ajudado. Abraço!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
15/07/2012 às 15:09:35
  (254 votos)
Campinas - SP
agapan, sim, a redução nas taxas de juros torna a compra do imóvel financiado mais atrativa, mas isso não significa que você deva fazê-la. Pelo seu relato, notei que seu poder de poupança é baixo e que não possui reservas acumuladas. Mesmo que seu convênio permita o financiamento de 100% do imóvel, me parece que sua renda não comporta essa condição pelos valores citados. Sugiro que, antes de partir para o financiamento, você faça um teste consigo mesmo e tente controlar seu orçamento de modo a poupar um valor maior todos os meses. Isso servirá para que você acumule um valor de entrada e também para testar se terá condições de honrar seus compromissos futuros com o financiamento. Afinal, de nada adianta financiar um imóvel se você não tiver condições de quitá-lo com tranquilidade no futuro, ok? Abraço!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
16/07/2012 às 00:06:53
  (254 votos)
Campinas - SP
Marília, apesar da estabilidade financeira, acredito que possivelmente estejam tentando um passo muito grande para o momento de vida de vocês. Vocês são jovens, tem um ótimo poder de poupança e já possuem uma reserva financeira razoável. Em resumo, possuem muitos dos ingredientes para acumular riqueza no longo prazo. Ao financiar a casa, abrir mão de parte do patrimônio e comprometer o poder de poupança com as parcelas, vocês anulariam as características que citei, mesmo tendo condições de quitar o financiamento com tranquilidade. É uma decisão muito pessoal e que envolve sonhos e prioridades, mas se puderem aguardar um pouco mais, a compra será em melhores condições, pois em cerca de cinco a seis anos, já descontando a inflação, vocês teriam condições de conquistar esse sonho sem se endividar. Quanto aos terrenos, compensa ficar de olho na valorização, pois os preços dos imóveis já subiu bastante e, caso comecem a estacionar, compensaria vendê-los e aplicar o dinheiro com maior rentabilidade, porém não abrindo mão da segurança. Espero ter ajudado. Abraço!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Vics
01/08/2012 às 23:24:07
  (1 voto)
Ola Sinesio, parabens pelo trabalho!
Tenho uma duvida, se puder ajudar agradeco.
Comprei um apto na planta e ja paguei 60,000 reais (2 anos). Ele ficou pronto e estou na duvida de quitar, financiar, alugar ou vender. Rs
Tenho o suficiente pra quitar o saldo devedor (105.000,00) e consegui juros anuais no BB de 8,5% aa + impostos e taxas de registro.
Se for vender, talvez Hj com agio consiga 220.000.
Pago aluguel de 1.500,00 mes em um apto maior e a intenção é de no futuro comprar um melhor ainda.
Estou na duvida se (1) quito ele a vista e tento alugar (900,00); (2) financio em 240 meses e tento alugar; ou (3) se financio e ja coloco a venda.

Obrigado


Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
AFelipe
02/08/2012 às 20:06:30
  (1 voto)
Sinésio, Boa Noite

Parabens pelo belo trabalho,o meu caso:

Tenho 35 anos, devido a algumas circunstâncias, mudei de área de trabalho, não acumulei capital, porem fiz duas faculdades, Administração e Engenharia civil (sou recem formado) minha dúvida: como estou no meio da vida gostaria de fazer tudo corretamente para ter uma garantia de um futuro mais tranquilo. Não tenho nenhum capital inicial, apenas um salario de 6.000,00. Pago aluguel de 1.500,00. Sou solteiro e sem filhos, a ideia de pagar juros de financiamentos me assusta muito, porem a ideia do aluguel tambem. Por onde começo?

Obrigado
Adrian Felipe
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
06/08/2012 às 18:23:43
  (254 votos)
Campinas - SP
Vics, o ideal seria fazer um estudo mais detalhado do seu caso, mas tentarei te ajudar para não te deixar sem resposta. Primeiro, por que você não mora nesse apartamento e para de pagar aluguel? Se quitá-lo e alugá-lo, terá uma entrada de R$900 e uma saída mensal de R$1.500, ficando com uma diferença negativa de R$600. Se financiá-lo, terá de pagar os R$1.500 do seu aluguel e o aluguel do novo ficará próximo de empatar com a parcela do financiamento. Ou seja, continuará tendo uma saída de R$1.500. Se quitá-lo e passar a morar nele, terá todo mês os R$1.500 para investir. Agora, respondendo suas perguntas: se quitá-lo e alugá-lo terá um valor baixo em relação ao valor de mercado e também em relação ao valor já investido. Existem investimentos com taxas mais interessantes. Se for colocá-lo para venda, o ideal é não quitá-lo, pois é mais fácil vender um apartamento cujo futuro comprador terá de oferecer uma entrada menor para financiar o saldo. Enfim, como disse, você precisaria de um estudo mais detalhado, incluindo impostos, taxas de corretagem, etc., mas espero que tenha ajudado. Abraço!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
06/08/2012 às 18:34:17
  (254 votos)
Campinas - SP
Adrian, com a recente queda nos juros e a estabilidade da economia nos últimos anos, financiar um imóvel deixou de ser algo tão assustador quanto era no período de inflação altíssima. Sugiro que comece fazendo uma boa reserva de capital para poder dar de entrada no futuro imóvel. O ideal é sempre comprar à vista, mas sabemos que em alguns casos isso pode representar vários anos de poupança e investimentos. Esse tempo muitas vezes pode gerar impactos negativos na felicidade das pessoas. Por isso, se a espera for muito crítica para você, sugiro que ofereça o máximo que puder de entrada e financie o restante no menor tempo possível, desde que não comprometa seu bolso. Hoje em dia os bancos aceitam financiar até 90% do valor do imóvel, mas acho um exagero. Tente oferecer uma entrada de pelo menos 40% a 50% do valor do imóvel. Isso é importante, pois será uma prova de que você consegue poupar parte de suas receitas e também será ótimo para diminuir seus custos no financiamento. Comece organizando sua vida financeira e fazendo um controle rígido do orçamento. O começo é difícil, mas com o tempo vira um hábito muito saudável. Abraço!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
FeMedeiros
09/10/2012 às 17:00:02
  (0 voto)
Boa tarde! No meu caso comprei o imovel a 1 ano e meio, e ele está locado. Estou preocupada com os juros, que depois de todo esse tempo, eu aortizei apenas 3 mil do financiamento. Quero ver se tem um simulador que eu possa fazer a analise de manter ele financiado e locado, mesmo com os juros altos, ou se vendo e invisto em algo com taxa de juros menor. Talvez imoveis que chamamos de "compra pelo valor real", imoveis na planta que vc nao paga juros... e sim, o mesmo valor inicialmente acordado. obrigada desde já
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
castro
25/10/2012 às 10:08:46
  (0 voto)
Juiz De Fora - MG
Bom dia!!

Gostaria de saber qual seria a porcentagem do salário que devemos disponibilizar com os gastos com a moradia para que seja possível viver bem e ainda economizar.

Obrigada
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
alison
28/01/2013 às 14:33:07
  (0 voto)
Sinésio, boa tarde!
Financiei R$ 110.000,00, em 30 anos, junto a Caixa . Irei pagar as parcelas iniciando em torno de R$ 1.050,00.Tenho uma poupança de R$ 26 mil, sou casado e tenho uma renda bruta em torno de R$ 8.900,00. Minha dúvida é saber se utilizo essa poupança para abater no tempo do financiamento ou continuo com esse dinheiro na poupança, já que pretendo passar pouco tempo nesse apto, repassando o mesmo para outra pessoa(com o saldo devedor), para logo em seguida adquirir um melhor, em torno de R$ 250.000,00. Falo isso, pq utilizaria a poupança(R$ 26 mil) com o valor recebido da venda do apto em que estou hoje, para aquisição do novo imóvel.

Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
salgueiro
09/02/2013 às 01:30:49
  (0 voto)
Boa noite Sinésio!
Estou com uma tremenda dúvida e talvez vc consiga me ajudar.atualmente juntando as rendas tenho um salario de 5.000, 12.000 de fundo de garantia,35.000 em dinheiro na mão,15.000 investido que eu retiro daqui a 6 meses,20.000 que retiro do consorcio daqui 1 ano e uma poupança mensal de 800,00 isso a curto prazo totalizando +ou- 92.000 daqui 1 ano,e a longo prazo 5 anos 15.000
estou negociando um apto no valor de 155.800, entrada 35.000 + 12.000 de fgts, isso e, 300 meses pela caixa deu uma parcela inicial de 1100.00 + um condominio de aproximadamente 300,00, e agora surgiu uma casa pra alugar ao lado de onde moro atualmente no valor de 600,00 a duvida é entro no alugue durante uns 2 anos para pegar um apto na planta ou ja parto para o financiamento.? tks
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
nikitin
04/04/2013 às 21:52:42
  (0 voto)
Boa noite Sinesio.
Primeiramente, gostaria de parabeniza-lo, excelente o seu site como um todo.
Estou com uma dúvida que está consumindo minhas noites de sono.
Tenho 32 anos, sou casado e com um filho de 2 anos.
Ano passado comprei um apartamento na planta e acabei de vende-lo por R$ 35 mil, obtive um lucro de 5 mil. Moro com a minha sogra há 8 anos e nunca me importei com isso, pois nesse tempo tentei montar meu negócio, minha esposa ficou estudando em casa até passar num concurso e no último ano, conseguimos comprar esse apto na planta.
Porém, a situação mudou, a casa da minha sogra que era independente (a minha e a dela) foi reformada para que possa ser vendida e agora, compartilhamos a mesma sala, a mesma cozinha, ou seja, não é mais independente e isso me fez querer sair. Ou seja, o "emocional" está falando mais alto no momento.
Minha renda e de minha esposa, gira em torno de 10 mil (recentemente tivemos um bom aumento. A partir desse mês Abril.)
De despesas fixas, a maior é a prestação do carro, 800,00 mensais e faltam 24 meses para terminar.
Com esses 35 mil que peguei da venda do apartamento, posso quitar esse carro que hoje fica em 15 mil para quitar.
Se eu quitar, vai me sobrar por mês, cerca de 4,2 mil.
Sei que se eu juntar esse dinheiro seria mais vantajoso, mas no momento não vai dar.
A pergunta é:
O que vale mais a pena no meu caso, financiar um imóvel pela caixa com juros de 7%aa, com uma prestação inicial de cerca de 2.400,00 (valor do imovel 330 mil, dando 10% de entrada, mas não quitando o carro) ou pagar aluguel? Penso em juntar essa diferença do que sobra e o valor da prestação do imovel, que daria cerca de mil mensais para eu juntar. E a cada 3 anos, juntar com o fundo de garantia e ir pagando parte do saldo devedor, que daria cerca de 40 mil a cada 3 anos.
Aluguel próximo de onde eu moro, ficará perto de 2.200. Como o sr. acha que devo proceder? o prazo de financiamento será de 30 anos. Gostaria de saber tambem, os valores e quais taxas terei que pagar no financiamento, ITBI eu sei que será 2% e o que mais?
Muito obrigado
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Paulorogerio
22/04/2013 às 20:14:25
  (0 voto)
Boa noite Sinésio, se possível me ajude pois estou com duvidas em relação a compra de um imovel:
Tenho 38 anos e tenho um apartamento que vale R$200.000,00 quitado. Preciso mudar para uma casa maior urgentemente pois a familia cresceu.Hoje consigo tranquilamente guardar R$ 2.000,00 por mês. Minha idéia é juntar 50.000,00 de entrada para financiar um imovel de 250.000,00.Minha duvida é:
O que é melhor vender meu apartamento atual e comprar uma casa maior com uma entrada muito melhor,ou alugar este imovel e ter uma renda de R$1.000,00 para ajudar na prestação? Muito obrigado
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Zandorserv
13/05/2013 às 18:55:41
  (0 voto)
Florianópolis - SC
Boa noite Sinésio. Quero comprar um imóvel de 350.000,00,tenho 80.000 para entrada e financiaria 270.000,00. Minha renda familiar é de 6.500,00 líquidos, e hoje pago um aluguel de 950,00. Vale a pena entrar em um financiamento? Em uma simulação no BB pagaria 2370,00 em 360 meses.
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
margam
27/08/2013 às 10:31:31
  (0 voto)
Iturama - MG
Bom dia, e parabens pelo site, gostaria de uma sugestão, fui transferido para outra cidade, atualmente sou casado e nao tenho filhos e tenho um imovel quitado na cidade que moro no valor aproximado de 180.000,00 nao podendo ser financiado devido estar irregular com algumas reformas que fiz, minha duvida é com relação na outra cidade, a outra cidade o custo de vida é bem maior na qual moro, o padrao que vivo mesmo vendendo minha casa nao consigo comprar outra la pelo mesmo valor, o que devo fazer? vendo minha casa e compro um terreno e construo, ou alugo minha casa e alugo outra la pelo mesmo valor? ou como meus pais moram la alugo minha casa e com o dinheiro do aluguel compro uma casa de menor valor com o valor do aluguel e financio, ente alugar e comprar o que vc sugere neste caso? aguardo orientação e desde ja agradeço!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
surfgomes
03/11/2013 às 18:15:01
  (0 voto)
Sinesio boa tarde
gostaria de saber sua opniao
tenho duvidas em comprar a vista, alugar e ou comprar financiado
tenho 39 anos e ja com um familia formada, com 3 filhas e esposa, e atualmente me encontro em uma situa;cao tranquila
o apartamento que minha familia quer custa 1.200.000,00.

qual a melhor opcao, comprar a vista?
manter o dinheiro investido e alugar?
comprar atraves de financiamento e manter o dinheiro investido?
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Karine
22/09/2014 às 21:31:44
  (0 voto)
Me ajuuuuuude!!!!! Quero sair da minha casa (que é confortável e grande), mas já está começando a dar manutenção (portas, janelas, telhado, etc)e tem tem questões emocionais que me fazem querer sair da casa, enfim..... achamos um apartamento na planta que aceita a casa no negócio:
O apartamento custa R$ 1.000.000,00
Daria R$ 100.000,00 de entrada (poupança) + R$ 600.000,00 (valor da minha casa + economias)dali a 1 ano, na entrega das chaves. Pretendo pagar o saldo (R$ 300.000,00) através de financiamento, com uma parcela de R$ 2.500,00, mais ou menos.
Sou muito insegura, mas não queria perder a oportunidade. O que acha???
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Glicia
06/01/2015 às 12:07:42
  (1 voto)
Bom dia Sinesio,
Parabéns pelo seu trabalho.Poderia me ajudar ?
Estou comprando o apartamento onde moro de aluguel. Dei o sinal em dezembro e faremos a escritura em janeiro. Pergunta: o aluguel de dezembro é devido mesmo após o pagamento do sinal ?
Obrigada

Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
OlaNatalia
23/03/2015 às 10:04:27
  (0 voto)
Estou muito interessado neste tópico e me deparei com este site:
Há uma grande quantidade de dados úteis. Talvez seja útil!
https://siteimovel.com/rio-de-janeiro
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sophia
29/05/2015 às 09:22:58
  (0 voto)
É um excelente artigo. Parabéns!
Na minha opinião é melhor comprar um apartamento do que alugar. No caso de não ter dinheiro para efetuar esta compra é melhor pedir um crédito de habilitação. Alugava um apartamento durante 5 anos e acho que este dinheiro foi para buraco. Perdi tanto tempo!!! Podia ter crédito e pagar mesmo valor por minha casa sem gastar para aluguel. Em Janeiro comprei um apartamento por preço bastante baixo no siteimovel.com e pago por minha casa própria. Já estou muito feliz=)
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
evelyvidal
11/06/2015 às 00:24:59
  (0 voto)
Ola,

Tenho uma duvida em relação ao financiamento de um imóvel novo. Comprei o imóvel na planta diretamente com a proprietario, o valor foi de 200mil reais, ja efetuei o pagamento de 70 mil reais, restando 130 mil reais que irei precisar financiar.
Minha duvida eh se quando eu for pedir o financiamento, se ira ser cobrada a entrada de 10%-20% do valor a ser financiado (130mil), ou do valor do imóvel (200 mil), ou se nao tera entrada, ja que paguei 28% do valor do imóvel imóvel a proprietaria.

Obrigada!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Jocelia
11/02/2016 às 23:02:39
  (0 voto)
Boa noite me chamo jocelia gostaria que me incasse oque fazer ,quero muito uma casa própria minha família e grande,aluguei meu apartamento e aluguei uma casa,mas gostaria de comprar,pago 1200,00 de aluguel meu AP vale 140.000,00 os imóveis onde quero valem em média 350.000,00 eu e meu marido somos autônomos oque devo fazer pois a casa que morro tem.muito reparos a
fazer eo dono alega não está em condições .
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
breno1402
06/07/2016 às 16:40:41
  (0 voto)
Teria como considerar o uso de FGTS na planilha? Dessa forma não teríamos a impressão equivocada que o valor depositado no fundo renderá pela rentabilidade de investimento de mercado. Ou seja, da forma como está, a simulação considera o FGTS como valor aplicado, se utilizar a opção do aluguel. Está correto o raciocínio?
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
breno1402
06/07/2016 às 16:40:46
  (0 voto)
Teria como considerar o uso de FGTS na planilha? Dessa forma não teríamos a impressão equivocada que o valor depositado no fundo renderá pela rentabilidade de investimento de mercado. Ou seja, da forma como está, a simulação considera o FGTS como valor aplicado, se utilizar a opção do aluguel. Está correto o raciocínio?
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
EUCHARIADANIEL
23/08/2016 às 11:08:38
  (0 voto)
Atenção por FAVOR!!! você precisa de um empréstimo urgente? i oferecer um não garantia e empréstimo de taxa não adiantado em um baixo interesse devido à situação económica e financeira de alguns países, tudo que você precisa fazer é garantir o seu empréstimo! contacte-me através (euchariadanielloanfirm@gmail.com)
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
EUCHARIADANIEL
23/08/2016 às 11:08:49
  (0 voto)
Atenção por FAVOR!!! você precisa de um empréstimo urgente? i oferecer um não garantia e empréstimo de taxa não adiantado em um baixo interesse devido à situação económica e financeira de alguns países, tudo que você precisa fazer é garantir o seu empréstimo! contacte-me através (euchariadanielloanfirm@gmail.com)
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
EUCHARIADANIEL
23/08/2016 às 11:08:59
  (0 voto)
Atenção por FAVOR!!! você precisa de um empréstimo urgente? i oferecer um não garantia e empréstimo de taxa não adiantado em um baixo interesse devido à situação económica e financeira de alguns países, tudo que você precisa fazer é garantir o seu empréstimo! contacte-me através (euchariadanielloanfirm@gmail.com)
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
daviesruth
05/09/2016 às 05:35:29
  (0 voto)
Você precisa de um empréstimo? Você é um homem ou uma mulher e você precisa de um empréstimo para aumentar o seu negócio ?? Você precisa de capital para iniciar um negócio? O que quer que seus problemas de crédito pode ser, aqui vem a sua ajuda como nós oferecem empréstimos a particulares e empresas de baixo e acessível taxa de juros. Contate-nos hoje em
(DAVIESRUTHFIRM@GMAIL.COM)
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
daviesruth
05/09/2016 às 05:35:36
  (0 voto)
Você precisa de um empréstimo? Você é um homem ou uma mulher e você precisa de um empréstimo para aumentar o seu negócio ?? Você precisa de capital para iniciar um negócio? O que quer que seus problemas de crédito pode ser, aqui vem a sua ajuda como nós oferecem empréstimos a particulares e empresas de baixo e acessível taxa de juros. Contate-nos hoje em
(DAVIESRUTHFIRM@GMAIL.COM)
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Inserir comentário Para comentar é necessário se cadastrar
Ainda não é cadastrado?
Clique aqui e faça seu cadastro gratuitamente.
PRODUTOS RECOMENDADOS
Uma seleção especial de e-books, livros e outros produtos que o Investpedia recomenda!
publicidade
publicidade
Todos os direitos reservados. Investpedia 2010.
Sites indicados:
As informações e análises contidas neste site tem como único propósito servir de material educacional e, em hipótese alguma, sugerem a compra ou a venda de qualquer tipo de ativo financeiro, assim como as estratégias aqui abordadas não constituem recomendação de investimento. O Investpedia não garante, de forma alguma, a exatidão das informações contidas em seus artigos, visto que estratégias educacionais e de análises de ativos podem ou não servir para diferentes tipos de investidores e que os parâmetros operacionais das bolsas de valores podem ser alterados periodicamente, não sendo obrigação do site a manutenção de tais informações, com ou sem prévio aviso. O objetivo do site é fornecer o conhecimento necessário para que o investidor possa atuar de maneira independente no mercado de capitais e fazer juízo próprio de tais informações, não cabendo aos seus diretores nenhum tipo de responsabilidade por lucros ou prejuízos. O Investpedia guarda o direito de alterar quaisquer informações disponibilizadas neste site sem prévio aviso.