Você está aqui: Skip Navigation LinksInvestPedia > Ações e Derivativos > Opções > O que são opções?
Olá, visitante, seja bem vindo.

O que são opções?

Embora o assunto opções seja recheado de termos técnicos e fórmulas complexas, é essencial e de extrema importância que se compreenda o conceito básico sobre seu funcionamento.

Aqui no Investpedia você encontrará tudo a respeito de opções, desde o básico até o mais avançado. Começaremos com uma explicação bastante simplificada e didática, para que o conceito básico seja muito bem assimilado.

Características
Opções são instrumentos derivativos, ou seja, para que elas existam é necessário que exista um ativo ligado à elas. Parece óbvio, mas tudo que deriva de alguma coisa, precisa necessariamente, que essa “coisa” exista, caso contrário, não terá do que derivar.

É importante que se entenda que todos os movimentos das opções, sejam de alta ou baixa nos preços das cotações, estão diretamente ligados a um ativo subjacente, ou seja, as opções não se valorizam ou desvalorizam de forma independente, esses movimentos estarão sempre ligados ao movimento de um ativo, que pode ser uma ação, um índice, uma commodity, uma moeda, um contrato futuro, etc.

Muita gente opera opções como se fosse algo isolado, que tem vida própria. Por isso a preocupação em explicar de maneira detalhada, mesmo que talvez de forma redundante, este conceito. Afinal, o óbvio muitas vezes precisa ser dito para que seja lembrado. Portanto, nunca se esqueça que todo movimento de uma opção estará sempre ligado ao movimento de um ativo subjacente.

Opções funcionam como contratos
Apesar de ser um instrumento financeiro utilizado muitas vezes para especulação, as opções foram criadas e pensadas como forma de proteger capital e controlar risco.

Funcionam como contratos, dando a seus titulares a opção de comprar (opção de compra) ou de vender (opção de venda) um ativo subjacente.

Exemplos fora da bolsa de valores
Antes de estender o assunto para as opções de compra e venda de ações em bolsa de valores, faremos uma comparação com exemplos fora da bolsa, para que se possa entender como este conceito pode ser aplicado em nosso cotidiano.

Opção de compra (Ex.: Imóveis)
Imagine que você possui um imóvel (ativo) que está a venda por R$100.000 e que logo após seu anuncio de venda, comecem a aparecer os primeiros interessados.

Um desses interessados adorou o imóvel, mas não pode decidir-se pela compra no momento, pois precisa do aval de sua esposa que volta de viagem em duas semanas, e sem que ela veja e conheça o imóvel, o negócio não pode ser fechado.

Ele lhe pergunta se você pode retirar o anuncio de venda e esperar pela volta de sua esposa por duas semanas. Você não concorda com isso, afinal, precisa vender seu imóvel, e tempo é dinheiro.

Diante de sua negativa, o interessado então lhe oferece uma quantia (prêmio) de 5% do valor do imóvel, para que você deixe o imóvel reservado, pelo mesmo preço, por duas semanas, sem que feche negócio com nenhum outro interessado até que sua esposa retorne de viagem.

Como o interessado lhe ofereceu uma vantagem financeira a mais (prêmio), você resolve aceitar esse prêmio, que firma entre vocês dois um acordo (contrato) que vencerá dentro de duas semanas (data de exercício).

Esse prêmio de R$5000 é um valor extra, ou seja, ele não faz parte do valor do imóvel, mas o interessado gostou tanto do imóvel que resolveu desembolsar essa quantia como forma de reservá-lo por duas semanas. Caso o interessado efetue o negócio daqui a duas semanas, ele terá pagado o valor total de R$105.000 (R$100.000 do imóvel + R$5.000 pela reserva).

O interessado agora possui a opção de comprar ou não o imóvel, uma vez que este já está reservado durante duas semanas e pelo mesmo preço anunciado.

Agora, imagine que nessas duas semanas o imóvel possa se valorizar devido ao anuncio da construção de um novo e moderno shopping center nas proximidades. Nesse caso, o interessado sairá com vantagem, pois pagou um prêmio para reservar o imóvel pelo preço anunciado (R$100.000), que após o anuncio da construção do shopping center está sendo cotado por R$130.000.

O contrário também pode acontecer. Imagine que nessas duas semanas a prefeitura decidiu que irá construir um novo corredor de ônibus na avenida em que se encontra o imóvel. O imóvel sofrerá uma desvalorização, pois a rua que antes era tranqüila, passará a ser uma rua extremamente movimentada e barulhenta. Assim, o imóvel já está sendo cotado por R$80.000. Nesse caso, o interessado resolve não fechar o negócio. Ele perde o valor do prêmio já pago, porém, ao invés de pagar R$100.000 em algo que agora vale R$80.000, resolve procurar um imóvel semelhante em outro bairro, pelo mesmo valor.

Repare que a opção de fechar ou não o negócio está nas mãos do interessado e não do dono do imóvel. O dono do imóvel (ativo subjacente) tem a obrigação de fechar o negócio pelo preço combinado no ato da reserva.

Resumo das características
Os termos técnicos serão explicados nos próximos artigos, mas o que precisa ficar claro com esse exemplo é que toda opção, por ser um derivativo, varia em função de outro ativo, que nesse caso é o imóvel. Veja uma comparação do que todas as opções possuem, independentemente do tipo de mercado em que são negociadas:

Ativo subjacente: imóvel
Strike: valor combinado do imóvel (R$100.000)
Lançador: dono do imóvel
Titular: interessado que pagou para reservar o imóvel
Prêmio: valor pago pela reserva (R$5.000)
Data de exercício: duas semanas

Opção de venda (Ex.: Seguro do carro)
Diferentemente do exemplo anterior, onde o titular da opção tinha o direito, mas não a obrigação de comprar o imóvel, aqui, o titular da opção tem o direito, mas não a obrigação de vender o ativo, nesse caso o automóvel.

Quando você contrata um seguro de automóvel junto à seguradora, paga um prêmio (valor do seguro) pela opção de vender o seu carro (opção de venda) para a seguradora, em caso de sinistro. Por outro lado, o lançador da opção (a seguradora) está adquirindo a obrigação de comprar seu carro em caso de sinistro.

Imagine que você comprou seu carro por R$40.000 e fez um seguro no valor de R$2.000. Assim como no exemplo do imóvel, esse valor não faz parte do automóvel, ou seja, ele é o prêmio que você pagará para ter seu carro segurado durante o período de um ano. Nesse período você terá a opção de vendê-lo para a seguradora em caso de sinistro e a seguradora terá a obrigação de “comprar” esse carro, pagando o valor contrato no seguro. Em resumo:

Ativo subjacente: automóvel
Strike: valor combinado do automóvel (R$40.000)
Lançador: seguradora
Titular: dono do carro
Prêmio: valor pago pelo seguro (R$2.000)
Data de exercício: um ano (prazo de vigência do seguro)

Note que você tem a opção de vender ou não seu carro para a seguradora, mas ficar com o carro batido e desvalorizado não seria uma opção muito inteligente, certo? Ninguém em sã consciência faria uma coisa dessas.

Conclusão
Através dos exemplos é possível perceber qual o real sentido das opções. Elas servem como controle de risco e proteção de capital, embora sejam comumente utilizadas como forma de especulação no mercado financeiro.

No exemplo do imóvel, o lançador se protegeu de uma eventual queda nos preços, assim como o titular se protegeu do risco de outro interessado fechar o negócio antes dele e também de um possível aumento no preço do imóvel. Para isso, ambos fecharam um acordo que envolvia um prêmio.

No exemplo do automóvel, o lançador recebeu um prêmio pelo risco de segurar o automóvel do titular, que por sua vez, se protegeu do risco de ter que ficar com o carro desvalorizado em caso de sinistro.
Avaliar:   (11 votos)  
Comentário 16 Comentários
Minha foto
Ver Perfil
Trx_Trader
12/04/2010 às 10:06:34
  (4 votos)
Santo André - SP
Bom Dia!!

Gostaria de agradecer ao site, por essa excelente explicação a respeito de opções, sou leigo a respeito desse assunto e estou impressionado como o mesmo foi bem explicado.

Obrigado
Avalie este comentário:   (2 votos) 
Minha foto
Ver Perfil
aliciosouza
13/04/2010 às 18:25:42
  (1 voto)
Itapema - SC
Sou iniciante no mercado de ações e praticamente leigo, sendo assim, estes artigos bastante didáticos são uma excelente ajuda. Parabens!
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
sergio
16/05/2010 às 19:14:41
  (10 votos)
Porto Alegre - RS
Parabéns. Um assunto complexo foi explicado de maneira bastante simples e de fácil entendimento.
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
kedmapelaes
21/07/2010 às 10:22:09
  (2 votos)
Macapá - AP
Olá, Artigo muito bom.

Tenho, no entanto, uma dúvida: uma pessoa comum (pequeno investidor pessoa física) pode ser um lançador de opções?
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
21/07/2010 às 20:30:41
  (254 votos)
Campinas - SP
Olá, kedmapelaes! Sim, o pequeno investidor pode ser um lançador de opções.

Não existe nenhuma restrição em relação a isso. O único detalhe é que muitos investidores operam opções sem conhecer o instrumento e isso leva a grandes prejuízos e dissabores.

Mas esse não parece ser o seu caso, pois está aqui estudando e aprendendo. Bons estudos e bons negócios! Conte conosco em caso de dúvidas, pois estamos aqui pra ajudar. Abraço.
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
luishcfraga
07/11/2010 às 20:26:49
  (4 votos)
Belo Horizonte - MG
Parabéns pelo tópico,

Claro, curto e explicativo. Espero em breve poder contribuir para o crescimento do site com minhas opiniões. Sua redação é fera, rapaz!

Abraços!
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
japiassu
30/03/2011 às 15:55:22
  (3 votos)
Rio De Janeiro - RJ
Muito bom!! O tema "opções" era totalmente obscuro para mim. Com esses exemplos práticos envolvendo assuntos diferentes de ações ficou bem mais fácil de entender. Parabéns pela didática!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
renantg
07/05/2011 às 00:45:13
  (6 votos)
Campo Mourão - PR
Muito boa a explicação. Essas comparações ajudaram muito mesmo =]

Obrigado
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
renantg
08/05/2011 às 17:08:05
  (6 votos)
Campo Mourão - PR
Exite algum simulador onde podemos treinar com opções?

Uso o simulador da Bovespa mas lá só é permitido ações.
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
gcecchini
25/05/2011 às 11:47:15
  (1 voto)
Excelente, explicação direta e simples para entender um mercado bastante complexo, parabéns
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
03/06/2011 às 00:21:41
  (254 votos)
Campinas - SP
renantg, não conheço nenhum simulador que possibilite simular as operações com opções como se estivesse em um pregão.

Mas existe um software muito bom que permite elaborar e treinar estratégias com opções. O nome dele é OptionsOracle e você poder fazer o download no site: www.samoasky.com

Abraço e bons negócios!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
renantg
18/06/2011 às 18:50:03
  (6 votos)
Campo Mourão - PR
Obrigado Sinésio
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
manoelabc
19/11/2011 às 19:22:03
  (2 votos)
Recife - PE
excelente explicação! contribuições como essa com certeza ajudará os investidores menores e iniciantes a nao serem "devorados" pelo mercado e nem iludidos que histórias de quem dormiu pobre e acordou rico! parabéns pela iniciativa!
Avalie este comentário:   (2 votos) 
Minha foto
Ver Perfil
lecord
07/02/2012 às 19:45:47
  (1 voto)
Suzano - SP
Gostei muito do texto, ficou extremamente claro, vou indicar o site com certeza.
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
fabiomoc
01/04/2012 às 11:13:31
  (1 voto)
Nossa! Eu não conseguia entender nada quando via uma explicação sobre opções, mas este texto deixou tudo muito mais claro agora. Muito, mas muito boa a sua explicação. Utilizando exemplos do dia a dia tornou o entendimento muito mais fácil. Muito obrigado.
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
patriotaRBC
21/07/2015 às 12:12:54
  (0 voto)
Curitiba - PR
Está claro pra mim que só poderei adquirir opções em pacotes padrões de 100, ou seus múltiplos, opções.
Mas se eu quiser exercer as opções, ou mesmo vende-las ? Terei que exercer ou vender as mesmas 100 ? Ou eu poderia exercer 50 e vender as restantes ?
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Inserir comentário Para comentar é necessário se cadastrar
Ainda não é cadastrado?
Clique aqui e faça seu cadastro gratuitamente.
PRODUTOS RECOMENDADOS
Uma seleção especial de e-books, livros e outros produtos que o Investpedia recomenda!
publicidade
publicidade
Todos os direitos reservados. Investpedia 2010.
Sites indicados:
As informações e análises contidas neste site tem como único propósito servir de material educacional e, em hipótese alguma, sugerem a compra ou a venda de qualquer tipo de ativo financeiro, assim como as estratégias aqui abordadas não constituem recomendação de investimento. O Investpedia não garante, de forma alguma, a exatidão das informações contidas em seus artigos, visto que estratégias educacionais e de análises de ativos podem ou não servir para diferentes tipos de investidores e que os parâmetros operacionais das bolsas de valores podem ser alterados periodicamente, não sendo obrigação do site a manutenção de tais informações, com ou sem prévio aviso. O objetivo do site é fornecer o conhecimento necessário para que o investidor possa atuar de maneira independente no mercado de capitais e fazer juízo próprio de tais informações, não cabendo aos seus diretores nenhum tipo de responsabilidade por lucros ou prejuízos. O Investpedia guarda o direito de alterar quaisquer informações disponibilizadas neste site sem prévio aviso.