Você está aqui: Skip Navigation LinksInvestPedia > Ações e Derivativos > Opções > Dicas e conceitos básicos que você deve saber antes de operar opções
Olá, visitante, seja bem vindo.

Dicas e conceitos básicos que você deve saber antes de operar opções

Antes de começar a operar é importante se familiarizar com alguns conceitos básicos importantes e alguns tipos de operação comumente difundidos entre os participantes do mercado. Sem essa noção básica, pode ser que você se sinta perdido no meio dos jargões que o mercado utiliza. Vamos explicar alguns deles.

Operações cobertas e descobertas
Toda operação de venda exige um lastro, ou seja, uma margem financeira ou em ativos como garantia. Como já vimos, quem vende uma opção tem uma obrigação perante o titular dessa opção. Para garantir que o vendedor cumpra com sua obrigação, a bolsa de valores exige uma margem, que pode variar dia após dia até a data de enceramento do contrato, ou data de exercício.

Chamamos de operações cobertas aquelas cuja garantia depositada pelo vendedor é a própria carteira do ativo subjacente. Se um vendedor possui 1000 ações VALE5 em carteira e deseja vender 1000 opções da empresa Vale, então ele não precisará depositar margem adicional em dinheiro ou em ativos. Basta deixar suas ações como garantia, ou seja, sua operação estará coberta. Nesse caso, suas ações ficarão bloqueadas como garantia até a data do exercício ou até que o investidor encerre (zere) sua posição antecipadamente.

Caso o investidor queira vender 1000 opções da Vale sem ter as ações subjacentes em carteira, então ele terá que depositar uma margem em dinheiro ou em outros ativos financeiros. Nesse caso, isso é o que chamamos de operação descoberta, pois ela não tem o ativo subjacente como lastro.

Compra a seco
É a modalidade onde o investidor compra uma opção esperando que ela se valorize para que se possa obter lucro vendendo-a mais cara futuramente. Nesse caso o investidor opera de maneira especulativa, não vinculando a compra da opção ao direito de comprar um ativo subjacente na data do exercício, ou seja, ele simplesmente não tem interesse no ativo subjacente e espera se livrar dessa opção antes da data do exercício.

É a maneira mais simples de operar opções, porém também é responsável pela ilusão de fazer riqueza rápida e fácil por parte dos iniciantes. É bastante comum que a compra a seco de opções leve investidores a perderem muito dinheiro. Como já vimos anteriormente, esse tipo de operação tende ao fracasso no longo prazo. É altamente desaconselhável a compra de opções a seco sem que o investidor entenda muito bem a mecânica das opções e quais os riscos envolvidos nesse tipo de operação.

Venda descoberta
Você já sabe o que é uma operação descoberta. A venda descoberta de opções consiste em vender opções sem possuir o ativo subjacente como lastro. Nesse caso é exigida uma margem em dinheiro ou em outros ativos financeiros.

É a mais perigosa operação envolvendo opções, desaconselhável para qualquer tipo de investidor ou de instituição financeira. Existem diversas histórias de quebradeiras devidas ao uso desse tipo de operação. Explicaremos o porquê desse alerta.

Numa operação de compra a seco, o risco máximo envolvido na operação é apenas o valor total da compra, ou seja, 100% do capital investido está em risco. Já no caso de uma venda descoberta, teoricamente o risco é ilimitado.

Quem vende descoberto pode ter que colocar muito mais dinheiro para cobrir uma operação que deu errado, do que somente o valor recebido pela venda. É por isso que vender opções descoberto é praticamente “assinar no presente, um atestado de óbito que poderá ser emitido no futuro”. Basta uma operação que dê muito errado para que você quebre rapidamente.

Ainda duvida do poder devastador de uma venda descoberta? No momento que escrevo esse artigo, acabo de recordar o forte movimento de uma opção no dia de ontem, 15 de Julho de 2009. A opção VALEG30, que até um dia antes estava praticamente virando pó, ressurgiu das cinzas e teve a impressionante variação positiva de 1000% durante o pregão. Nesse dia, a variação positiva da ação VALE5 foi de cerca de 8%. Imagine a chamada de margem que o infeliz investidor, que por ocasião do destino, tenha aberto uma venda descoberta de VALEG30 um dia antes. Enquanto a ação variou 8%, a opção variou 1000%. Eis mais um motivo para ficar longe de qualquer tipo de venda descoberta em opções. Elas variam muito mais percentualmente do que as ações.

Este é um alerta que deve ser muitas vezes repetido. As próprias corretoras de valores proíbem ou inibem esse tipo de operação em alguns casos, mas vale o aviso. Fique longe de venda descoberta!

Opere pequeno no mercado de opções
Agora que você já viu o perigo das vendas descobertas, vale outro alerta. Opções são instrumentos que permitem alavancagem financeira muito acima daquilo que o investidor pode suportar. Por esse motivo é importante que se opere pequeno no mercado de opções.

Operar pequeno significa saber qual o risco máximo que você suporta em cada operação isolada, sem se abalar em caso de perdas, e não ultrapassar esse limite. Aliás, é altamente aconselhável que você opere bem abaixo desse limite.

Não queira montar uma operação alavancada em busca de lucros exorbitantes, se o prejuízo máximo que a operação oferece é muito maior do que aquilo que você pode suportar. Acredite, por mais que você seja um bom operador, mais cedo ou mais tarde você vai perder. É preciso estar preparado para que sua perda consiga lhe manter vivo no mercado. Existem muitos mecanismos para limitar prejuízos em operações com opções, são o que chamamos de operações travadas e você vai encontrar material sobre o assunto aqui no Investpedia.

Não opere gráficos de opções
Esse é um assunto muito polêmico e que divide muitas opiniões, portanto tomaremos cuidado ao tratá-lo aqui. Embora muitos acreditem no poder dos gráficos, eles não são ferramentas adequadas para se operar opções.

Como já vimos, opções são derivativos de outros ativos e possuem características e variáveis muito específicas. Fatores como tempo, volatilidade, prazo para vencimento e distância do strike para o preço do ativo são apenas alguns exemplos da quantidade de influências externas que opções podem sofrer. Os gráficos simplesmente não são capazes de centralizar e equalizar todas essas variáveis.

E por que não operar opções baseando-se no gráfico das ações? Esse raciocínio é válido, porém perigoso. É fato que o gráfico das opções mais negociadas em cada série é semelhante com o gráfico das ações subjacentes, porém, isso só é observado no começo de cada série. Com o passar dos dias e com a aproximação da data do vencimento, esse comportamento muda radicalmente, dependendo das características de cada opção.

Reconhecemos que em algumas operações com opções os gráficos das ações podem servir de auxílio, mas mesmo que sua análise esteja correta, o movimento da ação ainda terá que acontecer antes da data em que a opção expira e, infelizmente, essa é uma variável impossível de ser mensurada com precisão. Portanto, é plausível contar com o auxílio do gráfico da ação para uma operação de poucos dias e caso o vencimento da opção ainda esteja distante.

É importante reforçar que o gráfico de uma ação pode servir apenas de auxílio. Jamais considere apenas os gráficos na tomada de decisão em operações com opções! Considere-os apenas como mais uma ferramenta disponível na tentativa de mensurar uma possível probabilidade. Lembre-se que opções são afetadas por características muito específicas e que diferem bastante das características que afetam outros tipos de instrumentos financeiros.

Para resumir e fortalecer nossa posição em relação a esse ponto bastante polêmico, eis um exemplo:

Você está na iminência de montar uma trava de baixa, pois julgou ter encontrado uma boa oportunidade no mercado. Então, consulta o gráfico da ação e nota que o papel encontra-se em um suporte importante e que até o momento do pregão em questão está plotando um candle de reversão em cima do suporte. O que você faz?

É muito provável que a grande maioria das pessoas que acredita em análise gráfica desista dessa trava, por julgar que a probabilidade de uma trava de baixa sair vencedora se montada em um importante suporte é muito menor do que se montada em uma importante resistência. É isso que significa usar o gráfico apenas como auxílio e não como ferramenta principal para operações a seco. Esperamos que isso fique bem claro para todos os nossos usuários.
Avaliar:   (2 votos)  
Comentário 03 Comentários
Minha foto
Ver Perfil
renantg
08/05/2011 às 17:04:15
  (6 votos)
Campo Mourão - PR
Gostaria de saber o seguinte:

Quando lanço opções de compra de ativos que possuo, se ninguém comprar minhas opções até viraram pó, eu perco alguma coisa? Ou continuo normalmente com meu ativo base, sem perder nada?

abraço

Avalie este comentário:   (1 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
Sinésio
03/06/2011 às 00:18:32
  (254 votos)
Campinas - SP
renantg, o termo "lançar opções" significa que você irá vendê-las para um comprador que terá a opção de exercer o direito de compra dele caso as ações, no dia do vencimento, estejam cotadas acima do valor do strike que você vendeu sua opção.

Se na data do vencimento as ações estiverem cotadas abaixo do valor do strike da sua venda, suas opções não valerão nada, ou quase nada, e você terá ganhado o valor da venda delas. Nesse caso você continua com seus ativos e embolsa o dinheiro da venda.

Se a cotação das ações estiver acima do strike que você vendeu, então você será obrigado a entregar seus ativos para o comprador das opções, que certamente irá querer exercer o direito de comprar suas ações mais baratas do que pelo valor que estarão cotadas no mercado.

Se você não quiser entregar seus ativos, você ainda tem a opção de "recomprar" suas opções, seja com lucro ou com prejuízo, dependendo das condições do mercado no momento, ok?

Espero ter ajudado. Abraço e bons negócios!
Avalie este comentário:   (0 voto) 
Minha foto
Ver Perfil
renantg
18/06/2011 às 18:54:18
  (6 votos)
Campo Mourão - PR
Muito bom =] Obrigado novamente. Estou gostando de aprender sobre o mercado financeiro.
Avalie este comentário:   (1 voto) 
Inserir comentário Para comentar é necessário se cadastrar
Ainda não é cadastrado?
Clique aqui e faça seu cadastro gratuitamente.
PRODUTOS RECOMENDADOS
Uma seleção especial de e-books, livros e outros produtos que o Investpedia recomenda!
publicidade
publicidade
Todos os direitos reservados. Investpedia 2010.
Sites indicados:
As informações e análises contidas neste site tem como único propósito servir de material educacional e, em hipótese alguma, sugerem a compra ou a venda de qualquer tipo de ativo financeiro, assim como as estratégias aqui abordadas não constituem recomendação de investimento. O Investpedia não garante, de forma alguma, a exatidão das informações contidas em seus artigos, visto que estratégias educacionais e de análises de ativos podem ou não servir para diferentes tipos de investidores e que os parâmetros operacionais das bolsas de valores podem ser alterados periodicamente, não sendo obrigação do site a manutenção de tais informações, com ou sem prévio aviso. O objetivo do site é fornecer o conhecimento necessário para que o investidor possa atuar de maneira independente no mercado de capitais e fazer juízo próprio de tais informações, não cabendo aos seus diretores nenhum tipo de responsabilidade por lucros ou prejuízos. O Investpedia guarda o direito de alterar quaisquer informações disponibilizadas neste site sem prévio aviso.